domingo, 6 de maio de 2012

Sócio da Santos Brasil leva operação a órgão da concorrência

SÃO PAULO - Continuando o impasse entre seus dois principais acionistas, a Santos Brasil enviou hoje ao mercado um fato relevante no qual Richard Klien, dono da Multi STS, uma das controladoras, informa que enviou a operação do direito de compra e venda aos órgãos de defesa da concorrência.

Segundo o executivo, a proposta foi enviada para análise do Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência (SBDC), que reúne a Secretaria de Direito Econômico (SDE), o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae).

No início do mês, o empresário havia notificado Daniel Dantas, do grupo Opportunity — a outra parte no bloco de controle —, que iria acionar uma cláusula prevista no acordo de acionistas que prevê que quem fizer uso da mesma tem o direito de comprar a participação do outro acionista maioritário, ou vender a sua própria.

Esse acordo tem o objetivo de deixar apenas um dos sócios na empresa e estabelece que, uma vez acionado, os dois lados teriam até 180 dias para apresentar, em envelope lacrado, um preço por ação na qual comprariam a parte do outro ou venderiam sua participação.

O auditor da Santos Brasil faria então um sorteio. O acionista vencedor poderia escolher se compraria as ações do outro ou venderia as suas, pelo preço fixado pelo perdedor. A intenção é que cada um coloque um preço justo para a operação.

No entanto, no documento entregue hoje, Klien afirma que solicitou a suspensão da análise da do SBDC até o dia em que o direito de compra ou venda seja efetivamente exercido, quando, então, se saberá quem serão as partes adquirentes e qual será o valor da operação.



Nenhum comentário: