segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Rio Grande do Sul lidera em casos de irregularidade nas eleições

Até as últimas horas de ontem (3), 1.664 ocorrências de irregularidades nas eleições, das quais 598 resultaram em prisão, foram registradas pelos TREs. As informações foram divulgadas pelo TSE no fim da tarde por meio de boletim sobre casos de ilícitos eleitorais.

De acordo com o TSE, foram presos 43 candidatos. O total de crimes eleitorais envolvendo quem disputa os votos foi de 204 ocorrências, mas 161 delas não resultaram em prisão.

O Rio Grande do Sul foi o Estado com maior número de ocorrências durante as eleições. Foram 298 no total, sendo que 18 resultaram em prisão. Depois vem o Rio de Janeiro, onde houve 236 registros, sendo 11 com prisão e 125 sem detenção.

No balanço parcial divulgado pelo tribunal, constam 342 ocorrências de eleitores flagrados fazendo boca de urna. A maioria deles no RJ, onde foram emitidos 93 registros de prisão. Com relação aos registros de crime de compra de votos, foram computados em todo o país 37 ocorrências com prisão e 15 sem prisão.

Segundo o ministro Arnaldo Versiani, do TSE, a regra é a de que as pessoas presas fiquem detidas até o final da votação, nos casos em que o juiz avaliar que elas podem perturbar a normalidade do pleito. Versiani também informou que o TSE derrubou algumas decisões de instâncias inferiores que limitaram os saques bancários às vésperas da eleição com o argumento de combate à compra de votos. Para o ministro, a restrição ultrapassa a competência da Justiça Eleitoral. (Com informações do TSE)

Fonte: Espaço Vital

Nenhum comentário: