quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Pesquisador ataca mito das decisões ditas racionais

O israelense-americano Daniel Kahneman, 76, coautor da nova pesquisa sobre a felicidade, faturou o Nobel justamente por mostrar que seres humanos não tomam decisões de modo racional.

O trabalho de Kahneman e o de outros psicólogos tem revelado que as pessoas seguem "atalhos" de raciocínio que podem se revelar errados e dependem muito da emoção em seus julgamentos econômicos.

A maioria das pessoas, por exemplo, prefere não receber nada a ganhar um pagamento considerado irrisório; e se sente mais feliz quando ganha mais do que um colega do que pelo valor absoluto do salário.

Outros estudos também apontam que experiências e relacionamentos pessoais têm mais impacto na felicidade do que adquirir bens.

FOLHA.com

Nenhum comentário: