domingo, 31 de agosto de 2008

HERMENEUTICA E DELEGACIA

Segundo reportagem do jornal ZH, uma delegada se absteve de prender um condutor de um veículo que estava embriagado (p. 43).

Mas o interessante é a justificativa: "Achei excessivo prendê-lo em flagrante porque não houve perigo concreto de acidente."

Segundo a reportagem, ele não apresentava risco pois "conduzia dentro do limite de velocidade e não atravessou a pista, por exemplo".!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Detalhe. Tratava-se de um motorista da prefeitura da Santa Maria e que conduzia uma ambulância!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Mas o mais patético não termina aí.

Eis o fechamento da matéria.

O Delegado que comanda o Departamento Interior da Polícia Civil disse que a lei comporta diferentes interpretações e que o "delegado é a autoridade máxima para decidir...".

Tá, então tá....

Hermenêutica na Delegacia de Polícia é demais para mim.

O lema de qualquer governo deveria ser: "Brasil, onde todas as regras são dissolvidas".

Nenhum comentário: