sábado, 14 de junho de 2008

MAIS UM GRUPO DE NOTÁVEIS...

Por iniciativa do presidente francês Nicolas Sarkozy, foi constituída uma comissão encabeçada pelos prêmios Nobel de economia Joseph Stiglitz e Amartya Sen com o objetivo de propor uma revisão dos limites do PIB como critério de medida do desempenho econômico e do bem-estar social. A Comissão é composta por 25 intelectuais de grande prestígio acadêmico, entre os quais, além, de Stiglitz e Sen, estão o Nobel de 1972, Kenneth Arrow (Stanford), e dois outros economistas que também foram ganhadores do mais cobiçado prêmio de economia, em 2000 e 2002: James Heckman (Chicago) e o psicólogo Daniel Kahneman (Princeton). Há mais um de Chicago, o jurista republicano Cass Sunstein, e mais dois de Princeton: o microeconomista Angus Deaton e o especialista em economia do trabalho Alan B. Krueger. Essa bancada acadêmica americana é completada por outros três criativos pensadores: o cientista político Robert Putnam (Harvard), o economista ambiental Geoffrey Heal (Columbia), e uma das mais influentes economistas feministas: Nancy Folbre (Massachussets). Com o presidente Stiglitz (Columbia), e seu conselheiro Sen (Harvard), são onze, dos quais cinco prêmios Nobel.

José Eli da Veiga, que passa uma temporada na Universidade de Cambridge, faz um relato interessante dos avanços nos trabalhos da Comissão .
Marcello Averbug é consultor em Washington e ex-economista do BNDES e do BID. maverbug@yahoo.com também comenta o assunto no VALOR ECONÔMICO de 14 de março de 2008-06-12

Econ. Maurício Dias David

Nenhum comentário: