quinta-feira, 1 de novembro de 2007

CRIMINALIDADE E RACIONALIDADE ECONÔMICA DO CRIMINOSO

Traficantes estariam migrando para o roubo em SP
Juliana Jaeger
O coordenador de Análise e Planejamento da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), Túlio Kahn, vê com preocupação o aumento do número de roubos no Estado. Levantamento da SSP divulgado nesta quinta-feira aponta que este crime cresceu 4,1% no terceiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. Kahn acredita que uma das causas possa ser a migração de criminosos do tráfico para o roubo.
» SP: nº de vítimas de homicídios cai 20% » SP: seqüestros aumentam 30,4% » Caem mortes em confronto com polícia » Opine sobre o assunto
De acordo com o levantamento da SSP, foram 2.232 roubos a mais no terceiro trimestre de 2007, em comparação com os 53.261 registrados no mesmo período de 2006. Na capital paulista, aumentou de 26.944 para 27.868, de acordo com o levantamento, que levou em conta os meses de julho, agosto e setembro.
"O caso do roubo nos preocupou um pouco porque está fora do contexto. Em geral, os números acompanham a variação da taxa de desemprego, mas o que se vê é que não há mais esse acompanhamento", afirmou.
Kahn explicou que, normalmente, o número de roubos cresce quando a taxa de desemprego aumenta. Nos últimos meses, no entanto, o que se verificou foram taxas de desemprego negativas e taxas positivas do número de roubos.
"O que pode estar ocorrendo é a migração de outra modalidade criminal. Com o aumento das prisões e apreensões relacionadas ao tráfico de drogas, os traficantes se sentiriam 'apertados', migrando para o roubo", afirmou.
Kahn ressalta, no entanto, que isso não influenciaria no número de ocorrências de tráfico de entorpecentes, que também registrou aumento. Segundo ele, o aumento de ocorrências de tráfico indica crescimento da atividade policial, por meio da repressão ao crime. As ocorrências de tráfico de drogas aumentaram 20,4%, segundo o levantamento.
Segundo Kahn, o dado mais positivo do levantamento da SSP é a diminuição de 20,8% no número de vítimas de homicídio. Ele afirmou que este é o 25º trimestre em que há redução neste tipo de crime. "A redução ocorre desde 1999", afirmou.
Em relação à metodologia utilizada para os levantamentos, Kahn comentou que fazer a contagem de três em três meses reflete com mais clareza a real situação do crime no Estado. Isso acontece, segundo ele, porque os tipos de crime têm variação sazonal. "Variam com o calendário social: o final do ano emprega mais gente, diminuindo o roubo; o período escolar aumenta o roubo de veículo, etc", disse.

Comentários: a estatística contribuirá para demonstrar que o criminoso é um agente racional que busca maiores benefícios dentro de menores riscos. E mais, serve para demonstrar que o roubo não é apenas um resultado da desigualdade social, em que pessoas muito necessitadas são levadas a praticar delitos, mas que ao contrário, ponderam custos e benefícios de outras alternativas e optam deliberadamente pelo crime.

Nenhum comentário: